Goiânia, quarta, 23 de maio de 2018
15/05/18 618 visualizações

Modelo marconista: promessas de Baldy não saem do papel





O ministro das Cidades Alexandre Baldy (PP) tem agido igual seu aliado, ex-governador Marconi Perillo (PSDB), com promessas de recursos federais. Marconi iludiu centenas de prefeitos com o eleitoreiro programa Goiás na Frente.

Dados do Ministério das Cidades mostram que dos R$ 64,4 milhões empenhados pra Goiás em 2017, nenhum centavo foi efetivamente pago no mesmo ano. Do montante, R$ 6,6 milhões foram pagos neste ano como Restos a Pagar. Os 'cheques sem fundo' de 2018 já somam 26,5 milhões, destez nenhum centavo já foi efetivamente pago neste ano. 

Nacionalmente a situação se repete. Do total de R$ 7,4 bilhões que foi empenhado em 2017, apenas R$ 4,8 bilhões foi efetivamente pago. Neste ano, a pasta já empenhou R$ 3,6 bi, mas apenas meio milhão foi pago. Baldy tem usado o ministério para fazer política, mas as chances de frustrar muitas cidades que depositam confiança em suas promessas são enormes. 

Luziânia

Um exemplo dessa divergência é o valor anunciado de uma obra na cidade de Luziânia, Entorno de Brasília, no valor de R$ 57,2 milhões para obras de saneamento e urbanização. O valor compreende coleta e tratamento de esgoto sanitário, infraestrutura e pavimentação asfáltica.

Apenas esta obra representa tudo que o ministério empenhou neste ano. O que é no mínimo de se duvidar que a população vá mesmo desfrutar do prejeto. No Portal da Transparência do ministério consta que nenhum centavo foi liberado. Os prefeitos precisam ficar de olho, pois é muita promessa para pouco orçamento. 

Os recursos serão viabilizados por meio de parceria entre o Governo Federal e o Governo de Goiás para duas etapas da obra, que incluem rede de esgotos e de águas pluviais, além de asfaltamento e construção de escola

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias