Goiânia, segunda, 18 de junho de 2018
12/06/18 831 visualizações

Com cirurgias suspensas, Hugo já está sem soro e seringa



Reprodução / TV Anhanguera

A situação do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) continua dramática. Administrado por uma Organização Social (OS), o Instituto Gerir, a unidade de saúde suspendeu desde maio cirurgias eletivas - mais de 400, no total - viu parte dos servidores cruzarem os braços por falta de pagamento dos salários e agora se vê praticamente sem itens básicos para procedimentos, como soro, seringa, fralda e luva. As informações são da TV Anhanguera.

 À emissora, a esposa de um paciente que espera por uma cirurgia há um mês desabafou: "Vou ter que comprar fralda, luva, desse jeito é melhor ir para casa. Não vou dar conta, não", afirmou, indo às lágrimas.

Enquanto pacientes sofrem, a OS que cuida do Hugo fica em silêncio e o governo do Estado diz que a situação no hospital voltou à normalidade.

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias