CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
DOMINGO, 9 DE AGOSTO DE 2020
ULTIMA NOTÍCIA:
Glaustin defende ao governo federal renovação e fortalecimento do Fundeb
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Goiás
  Goiás
 
Garçom é condenado por matar ex-mulher asfixiada por ciúmes, em Goiânia
Data Publicação:04/08/2018
O garçom Nestor Camargo, de 39 anos, foi condenado nesta sexta-feira (3) a 18 anos de prisão por ter matado a ex-mulher, Josefa Andrade, asfixiada dentro de casa, em Goiânia. Durante o julgamento, ele confessou o crime. A defesa informou que vai recorrer da decisão para tentar diminuir a pena.

A sessão foi presidida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara. O júri reconheceu que o crime foi praticado por motivo fútil, utilizando meio cruel e também por feminicídio. Nestor já aguardava o julgamento preso e, após a audiência, voltou para a Casa de Prisão Provisória.

Josefa morreu no dia 7 de agosto de 2016. Segundo o processo, ela e Nestor ficaram juntos por quase 11 anos, mas se separaram poucos meses antes do crime. Porém, ainda mantinha relações eventualmente.

Em seu depoimento durante o julgamento, Nestor confirmou que matou a vítima e disse que agiu após ver uma mensagem de outro homem no celular de Josefa e pedir explicações.

"Eu fui perguntar o que estava acontecendo, ela disse que fazia o que quisesse e eu já não lembro bem das coisas, peguei o pescoço dela e quando eu vi depois, o pescoço dela estava mole. Eu entrei em desespero", disse.

Durante o julgamento, o promotor José Eduardo Veiga Braga Filho ressaltou a força e crueldade do réu no momento do crime. "Ele diz que não se lembra direito, que só colocou as mãos sobre o pescoço dela. Mas no laudo, consta que a vítima foi esganada com tanta força que teve o pescoço quebrado", disse.

O defensor público Jaime Rosa Borges Júnior disse que o réu realmente é culpado, mas merecia uma redução de pena. "Ele agiu após uma injusta provocação e estava sob efeito de forte emoção. Os jurados reconheceram as três qualificadoras do crime, então vamos apresentar um recurso para tentar diminuir a pena", explicou.


Fonte:https://g1.globo.com/go/goias



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Governo de Caiado supera gestão de Marconi Perillo em Credibilidade
- Projeto Carteira CNH Social
- Sanddro lib, informa que prefeitura de Hidrolândia e responsavel por indenizar empresas fechadas
- Denúncias de assédio por João de Deus geram medo em cidade do interior Goiás
- Garoto recebe surpresa de policiais da Rotam no aniversário de 8 anos, em Luziânia
- Batida entre cinco veículos deixa mãe e bebê mortos e mais sete pessoas feridas, em Jaraguá
- Jovem morre ao ter moto atingida por carro no Jardim Europa, em Goiânia
- Desembargador nega pedido de soltura de presos em operação em endereços ligados a Marconi Perillo
- Prefeitura de Goiânia lança edital de licitação para parte das obras da Avenida Leste-Oeste
- Saneago inaugura adutora que liga estações de tratamento de água dos sistemas Mauro Borges e Meia Ponte
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Goias Real - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2020.