MP afirma que porteiro mentiu ao citar Bolsonaro em depoimento

A promotora Simone Sibilio, do Ministério Público do Rio de Janeiro, afirmou em entrevista a jornalistas na tarde desta quarta-feira (30) que o porteiro que cita Jair Bolsonaro em seu depoimento mentiu.

Reportagem do Jornal Nacional desta terça-feira (29) teve como base depoimento de um porteiro do condomínio onde o presidente tem casa no Rio. Segundo essa reportagem, no dia do assassinato da vereadora Marielle Franco, o ex-policial militar Élcio Queiroz, suspeito de envolvimento na morte, disse na portaria do condomínio que iria à casa de Bolsonaro, na época deputado federal.

Segundo o depoimento do porteiro à Polícia Civil do Rio, o suspeito pediu para ir na casa de Bolsonaro e um homem com a mesma voz do presidente teria atendido o interfone e autorizado a entrada. O acusado, no entanto, teria ido em outra casa dentro do condomínio.

A promotora afirmou que a investigação teve acesso à planilha da portaria do condomínio e às gravações do interfone e que restou comprovado que o porteiro interfonou para a casa 65 e que a entrada de Élcio foi autorizada por Ronnie Lessa, com quem se encontrou.

O Ministério Público disse que o porteiro pode ter anotado que Élcio foi para a casa de Bolsonaro por vários motivos e que eles serão apurados. “Todas as pessoas que prestam falso testemunho podem ser processadas”, disse Sibilio.

Questionada em seguida, a promotora disse que o porteiro pode ter se equivocado. Reiterou que o depoimento dele não bate com a prova técnica, que comprovou que é a voz de Ronnie Lessa que autoriza a entrada de Élcio Queiroz às 17h07.

 

Nesta quarta-feira, o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, publicou vídeo, segundo ele gravado na administração do condomínio, no qual apresenta dados conflitantes com os apresentados na reportagem da Globo.

Por volta das 17h de 14 de março de 2018, data do assassinato de Marielle, foi feita uma solicitação de entrada, por uma pessoa de nome Élcio, mas para a casa de Ronnie Lessa, e não para a de Bolsonaro. No vídeo, Carlos reproduz a ligação registrada às 17h13. O porteiro anuncia a chegada do “senhor Élcio”. A voz do outro lado, diferente da de Jair Bolsonaro, responde: “Tá, pode liberar aí”

Prefeito de Hidrolândia, deve retirar fotos de partições públicas

A Prefeitura de Hidrolândia, município a 36 quilômetros de Goiânia, recebeu uma recomendação do Ministério Público de Goiás (MP-GO), para que todas as fotos do prefeito da cidade sejam retiradas dos prédios públicos.

As fotos por conta do momento de eleição que surge ano que vem, e para impedir auto promoção do prefeito e dos atuais vereadores, vem por momento fortuito.

Governador Ronaldo Caiado sai do Hospital depois de susto a população

O Governador Ronaldo Caiado, deixa o hospital! E agradece a todos ;

“Obrigado pelas orações! Depois de alguns dias sob cuidados médicos fico muito feliz em poder dizer que estou bem e pronto para retomar as atividades à frente do Governo de Goiás. Temos muito trabalho pela frente!

#SomosTodosGoiás

Presidente do Podemos de Hidrolândia, Sanddro Lib, Denuncia, População de Hidrolândia muitos ainda estão sem dente.

O programa de implantes dentários, ainda não foi concluído. Andamento pelo Distrito de Santa Maria, este pertencente a cidade de Hidrolândia, e comum a reclamação da população que estão sem dentes. Um destes reclamou ao popular, Sanddro Lib, Presidente do Podemos de sua cidade, que resolveu abraçar a causa e tentar ajudar a quem precisa.

Segundo estudos , o programa de implantes dentários iniciou-se em 2017, com verba federal. São muitos os boatos de desvio de recurso, mas e concreto que a população sofre.  Em 2018, o MPF, estava apurando o caso e a prefeitura deu como desculpa a falta de verba e o cancelamento dos repasses.

Mas em quanto isso a população, fica sem seus dentes, correndo ainda por conta da não conclusão do tratamento de sofrer outros prejuízos a sua saúde.

Veja o Vídeo;

O implante dentário da prefeitura de Hidrolândia;

Manoel Barbosa e empossado Conselheiro da Estadual de Educação

Professor Manoel Barbosa, e professor da rede municipal de Goiânia, e Secretario Geral do Partido Podemos. O mesmo semana passada foi empossado no CEE, no Conselho Estadual de Educação.

O que fazem os Conselhos Estaduais de Educação ?

Nenhuma escola existe sem eles ou está livre de seguir suas regras. Com funções que vão da autorização de funcionamento de instituições escolares até colaboração na elaboração de políticas públicas, os Conselhos Estaduais e Municipais de Educação podem parecer uma instância na burocracia da gestão escolar. Mas eles são articuladores da sociedade com o poder público. “Nessa perspectiva, os conselhos devem buscar, na sua esfera de competência, contribuir para que a Educação do sistema de ensino seja equânime e de qualidade”, afirma a Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino do Ministério de Educação (MEC), em seu site.

Surgidos na década de 1960, com a primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 4024), os conselhos estaduais de Educação (CEE) possuem funções consultiva, normativa e deliberativa para assessorar as secretarias. Bem como os municipais (CME), que começaram a pipocar a partir dos anos 80, esses órgãos são responsáveis pela regulamentação da legislação educacional, fiscalização e proposta de medidas para melhoria das políticas públicas. A sua existência é uma forma de assegurar a participação da comunidade na definição, aperfeiçoamento, avaliação e fiscalização das políticas educacionais.

Embora respondam ao governo, os conselhos possuem gestão autônoma, com composições que variam de acordo com a unidade de federação à qual pertencem e estão subordinados. No estado de São Paulo, por exemplo, os 24 membros são nomeados pelo governador, devendo “os escolhidos terem notório saber e experiência em Educação”, além de garantir a diversidade de graus de ensino (Básico e Superior) e de instância (pública e privada). O formato condiciona a escolhas mais técnicas ou acadêmicas, bem diferente do que acontece no Alagoas. A diversidade de representantes de seus 26 membros é garantida pelo próprio regimento interno, que define a participação quantificada para membros natos (um cargo que é fixo dentro desse conselho) ligados à Secretaria de Educação, representantes de instituições de ensino, de órgãos de representação de professores, pais e estudantes – públicas e privadas. Já nas instâncias municipais, os conselhos costumam ser mais paritários, contando com representantes da comunidade escolar, acadêmica e do poder público.

As atribuições dos conselhos
Os conselhos têm responsabilidades tanto em relação ao Ensino Básico, quanto ao Superior. Eles normatizam diferentes processos, começando pela autorização de funcionamento de instituições escolares públicas e privadas – nenhuma escola existe ou funciona sem o aval deles. Como são regidos por diferentes leis, as atribuições podem variar um pouco. “De acordo com a legislação que organiza a Educação nacional, não existem diferenças entre as atribuições dos municipais e estaduais”, esclarece a Secretaria de Educação.

Em suas funções, os conselhos são responsáveis por fixar normas de autorização para lecionar em caráter suplementar, elaboração do regimento escolar e do projeto político-pedagógico (PPP); equivalência de estudos nos níveis e modalidades da Educação Básica; diretrizes para a Educação Especial, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Educação Profissional. Aos conselhos também compete colaborar com elaboração de políticas públicas; a elaboração, atualização e acompanhamento da execução do Plano de Educação; proposta e aprovação de medidas para garantir o padrão de qualidade do ensino; sugerir medidas para melhor solução dos problemas educacionais e de alterações em leis que regem o sistema educacional.

O que eles podem fazer pela sua escola
Como interlocutores do poder público e sociedade, os conselhos atuam na defesa dos direitos educacionais assegurados nas leis em vigor. Realizar investigações sobre a situação do ensino em qualquer parte do território estadual ou municipal ao qual pertence é uma das competências do conselho. Essa fiscalização é baseada em normas e leis. “A partir da supervisão realizada nas unidades escolares ou de informações advindas da sociedade civil, os conselhos podem aplicar sanções em caso de descumprimento”, diz a Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino do MEC.

Se a sua escola não está cumprindo itens da legislação local ou tem demandas não atendidas que estão prejudicando o ensino (como problemas sérios de infraestrutura que afetam a realização das aulas e podem representar um risco a diretores, professores, alunos e funcionários), o conselho pode ser acionado. “Como cuidamos de todo o estado, vamos às escolas por demandas pontuais, que podem envolver denúncias, conferência para aprovação quando a documentação não nos convence e interesse da nossa parte em fazer diagnósticos. Nesse caso, verificamos as condições de oferta de determinado segmento, como Educação de Jovens e Adultos (EJA), por exemplo”, diz Oswaldir Ramos, presidente do Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina. “Além de aplicar sanções, os conselhos podem ainda levar denúncias aos órgãos de fiscalização e controle em decorrência de fatos relevantes para a oferta dos serviços educacionais e para o cumprimento de suas políticas”, esclarece a Secretaria.

Como encontrar os conselhos
Todos os conselhos estaduais possuem páginas na internet com contatos telefônicos e de endereço eletrônico disponíveis. O jeito mais fácil de saber se a sua cidade conta com um conselho é a partir da Secretaria de Educação. Não há legislação que obrigue os municípios a formarem conselhos locais. Nos casos em que não existe, as demandas ficam a cargo do conselho estadual. A inexistência de conselhos municipais em muitas cidades acaba sobrecarregando o estado – que tem de fiscalizar também as escolas municipais – e compromete a qualidade de ensino. “Com um conselho, o município ganha autonomia na gestão de políticas educacionais de forma a atender às demandas locais, promover a celeridade nos processos educacionais e contribuir para a melhoria contínua da Educação ofertada em seu território”, diz a Secretaria de Articulação. Considerando o regime de colaboração entre estado e município, os conselhos podem trocar experiências para formação de suas equipes técnicas ou formarem grupos de trabalho para investigar as melhores propostas para atender às especificidades locais, por exemplo. É o que acontece em Santa Catarina. “Além de ajudarmos com orientações para criação dos conselhos municipais, temos uma comissão de conselheiros que se articulam com os municípios em encontros para trocas de informações”, conta Oswaldir.

Objetivo de entrar na OCDE deve melhorar políticas públicas brasileiras, defende Glaustin em Paris

 

Na França para participar de encontro internacional de parlamentares, deputado federal argumentou que, mesmo que o País demore a se tornar membro associado, processo de entrada traz ganhos ao estimular revisão legislativa

A agência Bloomberg noticiou nesta quinta-feira (10) a tendência de os Estados Unidos priorizarem o ingresso de Argentina e Romênia na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na avaliação do deputado federal Glaustin da Fokus (PSC-GO), porém, mesmo que leve mais tempo para entrar oficialmente no organismo, o Brasil tem muito a se beneficiar do processo de revisão legislativa a ser estimulado pelo objetivo de aderir à instituição.

Em Paris a convite da OCDE para participar de um encontro da Rede Parlamentar Global, Glaustin se encontrou com o Delegado do Brasil junto às Organizações Internacionais Econômicas sediadas na capital francesa, embaixador Carlos Marcio Cozendey, com quem tratou da candidatura brasileira ao organismo.

“O Brasil não deve desistir do objetivo de ingressar na OCDE porque tem muito a evoluir com todo esse processo de entrada, que costuma durar pelo menos dois anos, tempo necessário para cada país aperfeiçoar e modernizar sua legislação e, assim, se aproximar do nível das nações mais desenvolvidas, o chamado ‘clube dos riscos’, apelido da organização”, disse Glaustin. “Acredito que a nossa população ganhe bastante na qualidade das políticas públicas em áreas como educação, economia, saúde, tecnologia e trabalho.”

Segundo Cozendey, além de Argentina e Romênia, o Brasil disputa lugar com Bulgária, Croácia e Peru para entrar na organização, que hoje engloba 36 nações de alto PIB per capita e elevado Índice de Desenvolvimento Humano. “O processo de acessão é longo e envolve um exame de políticas públicas de cada país, para verificar se a candidatura é compatível”, explicou o diplomata.

Aproximação
O embaixador destacou a importância da presença de Glaustin e dos também deputados federais Eduardo Cury (PSDB-SP) e Major Vitor Hugo (PSL-GO) na Rede Parlamentar Global. “Esse envolvimento de um país com a OCDE implica adotar recomendações que geram consequências em termos de mudança de leis. Por isso, o Congresso Nacional será convidado a se pronunciar sobre questões relevantes para o processo de acessão”, afirmou Cozendey. “O Brasil já tem uma participação muito intensa nos grupos da OCDE e a vinda de três parlamentares é uma oportunidade para que eles conheçam os assuntos que hoje estão em pauta na organização e aqueles que em breve estarão.”

Glaustin apresentou estatísticas brasileiras a mais de 130 parlamentares em Paris, representantes de 33 países de todos os continentes. “Estamos entre as 10 maiores economias mundiais e somos gigantes em produção, exportação e oportunidades de investimento”, discursou. “Somos o maior mercado consumidor da América Latina. Nosso País encontrou um novo rumo. Muitas ideias já começaram a sair do papel e muita coisa boa ainda está por vir.”

Em suas redes sociais, após o primeiro dia de debates na capital francesa, o deputado goiano ainda reforçou a relevância dos temas elencados pela OCDE para o trabalho de formuladores de políticas públicas. “Discutimos questões de impacto atual e futuro, como a taxação da economia digital e das energias renováveis, as relações de trabalho, a luta contra a corrupção e a necessidade de promover um crescimento inclusivo”, resumiu, em referência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

Criada em 1961, a OCDE tem a missão de promover políticas que fomentem a economia e o bem-estar social ao redor do mundo. O traço comum do trabalho da organização é o compromisso com a economia de mercado, sob a égide de instituições democráticas. Trata-se de um fórum no qual governos podem trocar experiências e buscar soluções para desafios comuns. Entrar no grupo traz benefícios em vários setores, sobretudo na atração de investimentos.

Últimos Informes de saúde de nosso Governador Ronaldo Caiado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O governador Ronaldo Caiado foi submetido a um cateterismo, não tendo sido detectado infarto. Optou-se pela realização de uma angioplastia com a implantação de um stent.

O governador passa bem, está consciente e obedecendo a procedimento de rotina, deverá permanecer por 24 horas na UTI.

Dra. Ludhmila Hajjar

Prefeitura de Goiânia, Biblioteca Marieta Teles da Praça Universitária e deixada ao Releu, por Iriz Rezende Machado

Apos vários anos de Governo, Iriz Rezende começa a dar suas caducadas. Em recentes informes, onde o mesmo se declara como o melhor prefeito de Goiânia, podemos ver o abandono da cultura em sua gestão.

A biblioteca Marieta Teles que já foi o auge dos anos 70 a 90 do encontro da moçada em Goiânia, na praça universitária e o grande exemplo do abandono de sua gestão pública. Hoje a mesma alem de servir de ponto de trafego de drogas, e morada de menores, sem lar.

Entrando em contato com a Seifran da prefeitura de Goiânia, quando perguntamos sobre quando a praça universitária seria restaurada, deparamos com a informação que a mesma já foi restaurada, e quando entramos no detalhe da Biblioteca Marieta Teles, a resposta que temos e , sem precisão.

Em resposta a um antigo parecer feito pelo ministério público, a prefeitura respondeu que já tinha feito tratativas. Mas bem , vamos questionar, Prefeito Iriz ! ? Qual a tratativa mesmo ?

Veja biblioteca em completo abandono !

Lucia Vânia, assume Secretária de Desenvolvimento Social de Goiás

Em um jogo de consciência e respeito, Lucia Vânia abandona sua paixão pelas causas do Psdb e como amiga do congresso de Ronaldo Caiado, assume a Secretária de Desenvolvimento Social de Goiás (Seds). Ao mesmo tempo Caiado reforma seu time, indo atraz de corruptos, e anuncia Marcos Cabral na Presidência da Codego, Pedro Sales no comando da Goinfra e Ênio Caiado assume o comando se tornando o responsável pela estatal Goiás Parcerias.

Para Goias mudar das velhas práticas e necessário atitudes fortes.