CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
DOMINGO, 25 DE JULHO DE 2021
ULTIMA NOTÍCIA:
Um Brasil forte:Pazuello é nomeado para secretaria ligada ao gabinete presidencial
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Saúde
  Saúde
 
Queda da mortalidade infantil aumenta longevidade
Data Publicação:04/08/2013

Uma forte queda na mortalidade infantil (até um ano de idade), de 69,1 para 16,7 por mil nascidos vivos de 1980 a 2010, foi um dos motores do aumento na expectativa de vida dos brasileiros ao nascer no período, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Enquanto no início da série o indicador tirava três anos, sete meses e 12 dias da esperança de vida ao nascer, no último ano a perda era de apenas três meses e três dias. A queda foi mais acentuada no Nordeste, onde, ao longo das três décadas, a redução foi de 97,1 para 23 por mil nascidos vivos. Isso quer dizer que, para cada grupo de mil, 74,1 deixaram de morrer antes de seu primeiro ano. Também houve recuo do indicador nas demais regiões.

Com os avanços, o Brasil bateu, com cinco anos de antecedência, o quarto Objetivo do Milênio: reduzir em 2/3, até 2015, esse indicador, em relação a 1990. A pesquisa, divulgada nesta sexta-feira, 02, apontou que a menor taxa de mortalidade infantil de 2010 foi a de Santa Catarina, 9,2 por mil, e a maior, de Alagoas, 30,2. Apesar de ter obtido a maior queda no indicador, o Nordeste continuou a ser a região em que ele é maior.

O Estado com menor expectativa de vida ao nascer em 2010 era o Maranhão, com 68 anos, oito meses e sete dias, na média de ambos os sexos. Foi uma queda: em 1980, os maranhenses estavam em 23º lugar, com 54 anos e seis meses. Apesar do aumento de quatorze anos e seis dias, outros Estados avançaram mais.

O trabalho também constatou crescimento na expectativa de vida dos idosos. A expectativa aos 60 anos está muito ligada ao envelhecimento da população. Em 1980, uma pessoa ao atingir 60 anos esperaria viver em média mais 16 anos; já em 2010 esperaria viver 21 anos a mais.

O estudo apontou que em 2010 havia 449.129 habitantes do Brasil com 90 anos e mais de idade. Pela primeira vez na história da pesquisa, essa faixa passou a ser o grupo etário aberto final, indicando o aumento da longevidade dos brasileiros.




Fonte:exame



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Ivermecitina e sim eficaz como tratamento precoce
- A desvalorização do profissional de enfermagem 
- Resistente, DST se alastra e alarma médicos por resistência
- O cozimento no vapor traz muitos benefícios
- Governo retira 800 mil litros de azeite de oliva do mercado e autua 84 empresas
- Ministério da Saúde anuncia ampliação de vacinas
- Instituto Hahnemann abre inscrições para homeopatia
- Pesquisa diz que tomar aspirina a cada três dias reduz risco de infarto.
- Estudo mostra que pílula do câncer tem efeito reduzido
- Palestra gratuita revela os benefícios da Yoga
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Goias Real - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2020.